Onde você estava dez anos atrás?

É incrível como todo mundo, ou quase, lembra onde estava no dia 11 de setembro de 2001. Eu começo esses meus pensamentos usando essa frase postada no Twitter na última semana, pelo jornalista pernambucano Fernando Rêgo Barros.

Quando vi tal frase, eu parei de frente do computador, não digitei mais nada e tentei me lembrar aquele momento. Na verdade eu nunca esqueci e até já o citei em outra postagem. Mas especificamente hoje, quando se comemora os 10 anos dos atentados terroristas aos Estados Unidos, resolvi detalhar como aquelas notícias me chegaram.

Era uma manhã de terça-feira e eu não tinha ido ao colégio. Minha modesta rotina acabava de ser mudada pelo fato de eu não ter feito o mesmo caminho naquele dia. Fui a um consultório médico. Andava com a cabeça um pouco confusa, aspirações pessoais e profissionais se conturbando dentro de uma mente adolescente que era a minha na época.

Decidi ir a um psicólogo. E fui.

Na sala de espera, me acomodei em uma poltrona e diante de mim estava uma TV ligada.

Eu olhava a televisão, mas não prestava atenção. A minha preocupação estava toda no que aconteceria a mim depois que entrasse no consultório. O que eu vou dizer? Será que ela vai me achar louco? O que é que eu to fazendo aqui?

A imaginação fugia do meu controle e eu só ouvia o burburinho do desenho animado. Eis que de repente, algo me trouxe pra frente da TV novamente. Era a musiquinha emblemática do plantão.

E ali, depois de ter voltado a mim, vi ao vivo, a notícia e as imagens da tragédia que ocorria.

No começo eu não associava. Achava que minha cabeça estava mais confusa e dilacerada do que aquele povo todo pedindo socorro, se queimando.

Eu não lembro o que conversei com a psicóloga. Também não voltei mais lá.

Eu precisava me entender sozinho, sei lá. Adiei meus pensamentos pra depois, quando entendi que diante dos meus olhos e dos olhos do mundo inteiro, um novo capítulo da história, não só americana, mas mundial se escrevia ali.

O que ocorreu depois todo mundo sabe, e eu creio que ninguém cansa de ver, de saber algo novo em relação aos atentados ao Word Trade Center e ao Pentágono.

As imagens do 11 de setembro são muito mais do que fatos e notícias. Elas vão ficar pra sempre no imaginário de todos que as viram, seja ao vivo pela TV, seja nos livros de história, seja anos e anos depois.

Anúncios

~ por automidia em 09/11/2011.

7 Respostas to “Onde você estava dez anos atrás?”

  1. Lembro-me que a dez anos atrás eu tinha largado do Sagrada e chegando no bando pra falar com minha mãe que lá trabalhava, todos os funcionários e clientes do banco estavam com a cabeça levantada olhando chocados pra TV que estava noticiando o caso. Nossa! Já fazem dez anos mesmo?! Até parece que foi ontem….

  2. Eu estava caminhando, quando vi algumas pessoas na frente da tv, aglomeradas. Foi meu primeiro contato com a notícia.

  3. Lembro que matei duas aulas de matemática e fugi do colégio só para assistir o capítulo do desenho ‘Dragon Ball Z’, estava quase no fim da temporada. Quando porém cheguei, o primeiro avião já havia se chocado com torre gêmea. Na hora fiquei chocado por não poder ver o desenho, acho que não queria acreditar numa atrocidade tão grande.

  4. Hj, 11/09, faz 38 anos do brutal golpe patrocinado pelos USA contra o povo chileno. Que paradoxo. Homens, mulheres, crianças foram assassinadas por armas americanas sem pena! Duvido que o órgão de imprensa vá comentar isso!
    E o governo americano publica em todas as linguas:-“O atentado às torres gemeas foi o maior ato terrorista da história…” Palhaçada!!

  5. Engraçado, mas todo mundo lembra mesmo. Esse atentado terrorista foi, pelo menos, um divisor de águas ma vida de muita gente.
    Eu fazia cursinho e estava na aula, aula de português, esta aula antecedia o intervalo, me lembro q a aula foi interrompida e fomos todos pra sala de multimeios, ligamos a TV, e assistimos o jornal (plantão) até o fim do intervalo. Todo mundo passado, mas eu, infelizmente não. Não sei se pq eu não gosto dos EUA, ou por eu ser mto jovem na época. Mas não me sensibilizei tanto quanto nossos problemas me sensibilizam. Engraçado pq só agora, dez anos depois, assistindo os documentarios que brotaram em todos os canais mas principalmente, os que passaram na Globo e na GNT, e me sensibilizei numa proporção retroativa ao que não fiz na época em que tudo aconteceu, desde sentir o impacto do ataque em minha vida até o pesar pelo número de mortos. Realmente, mesmo tendo passado 10 anos, ainda é inacreditável um ataque terrorista de tal proporção.

  6. Admiro muito a forma como tu usa as palavras para escrever. Parabéns!!
    Em relação ao titulo do post, eu estava sentado na sala de minha casa em goiana, quando essa musica clássica da globo tocou e fiquei esperando para saber quem havia morrido.Quando entra as cenas das torres gêmeas sendo atacadas e com tudo o que você já descreveu muito bem. Realmente, não tem como esquecer essa imagem.Coisa de cinema…” A vida imita a arte, ou a arte imita a vida”?

  7. Tinha dado minhas aulas e voltava pra casa , quando em um restaurente o volume da Tv estava super alto, algumas pessoa sassitia o que nela passava, pensei que realmente era algo muito importante. Só vim saber o que realmente tinha acontecido foi em casa. Pensei realmente se aquilo que assitia não era coisa de um filme, mas era real.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: