“Tá todo mundo dançando a nostalgia do verão.”

Achei melhor esperar até o final do mês pra ter certeza acerca do que escreveria nsse primeiro post de 2010.

Tentei me redimir do último acontecimento contado aqui, mas não consegui, como previsto, ir ao cinema nesse mês de janeiro. Pelo menos até agora.

É costume do povo de minha terra, aproveitar ao máximo esse primeiro mês do ano na praia, como já mencionei outras vezes. Viramos verdadeiros nativos.

Praias, por ser lugar cosmopolita, é ideal pra observar tendências e arriscar algumas previsões pro ano novo.

Falando de música.

É inevitável não acontecer.

A cada ano elas surgem, e sem trocadilho, como onda, invadindo tudo que é ouvido. Por mais que se tente, é impossível não ouvir e não aprender. Mas criticar esses fenômenos é perca de tempo. Ou se aceita ou fica em casa.   Nem precisa gostar. Como eu não gosto!

Esperei passar esses primeiros quinze dias do mês para poder eleger a minha favorita. Quer dizer, aquela que mais me estremece.

Dentre os sucessos sazonais, as músicas que só se tragam depois de muita cerveja e sol quente no juízo, eis que escolhi a da “bicicletinha”.

Sabe lá Deus que é o compositor desse clássico do verão, ou possa ser que Deus duvide da capacidade de seus próprios filhos.

O refrão consiste em:

Ela sai de saia, de bicicletinha/uma mão vai no guidom/a outra tapando a calcinha

O que impressiona não é a letra. Certamente já ouvi termos muito mais chulos. O que me chamou atenção nesse caso especificamente foi a quantidade de versões em ritmos diferentes que ouvi.

Bicicletinha em axé. Em forró, pagode, tecno, suingueira, sertanejo e blues instrumental.

A curtição é perfeita. Sob o sol, pessoas deliram entoando letras e melodias  tais quais essa. Porta das malas dos carros abertas, um ou outro em cima da lataria…

Isso faz parte de nossa sociedade e minha intenção aqui é de relatar, sem criticar, mas já criticando!

Hehehehe

O que me alivia, no final das contas, e não faz enlouquecer de vez, é saber que essas canções-modinhas são tão passageiras quanto às chuvas dos verões que elas ajudam a embalar.

Graças a Deus.

Anúncios

~ por automidia em 01/17/2010.

5 Respostas to ““Tá todo mundo dançando a nostalgia do verão.””

  1. Que profundo. seguindo – segue-me tbm;

  2. Eu passo o verão na Praia do Cassino, é uma das únicas praias onde os carros estacionam a beira-mar. Sem rua, sem divisa entre banhistas e carros.
    Em relação a música, finalmente proíbiram o som alto. Mas sempre tem um playboy com uma “festa ambulante” para fazer barulho enquanto outros tentam ficar em paz.
    Saulo Chaplin
    comentado via forum orkut

  3. “O que me alivia, no final das contas, e não faz enlouquecer de vez, é saber que essas canções-modinhas são tão passageiras quanto às chuvas dos verões que elas ajudam a embalar.” realmente uma coisa sempre compensa a outra, graças a Deus que elas não duram como as verdadeiras músicas brasileiras

    hsduahdsuahdua

    parabens pela critica, sucesso com o blog, se puder da uma olhada lá no meu

    valeu!

  4. Olá Manoel Borges, obrigado pela crítica ao meu blog. Ainda estou no começo desta jornada, mas espero ir, com o tempo, ganhar experiência para sempre escrever cada vez melhor. Gosto de colocar o que penso sobre as coisas, o que muitas vezes não vai de encontro com a opinião de algumas pessoas.

    qualquer contato é só mandar email para JOAOPAULO_VIX@HOTMAIL.COM

    Abraços e boa semana.

  5. verão é tudo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: