“Só no que a vida me traz…”

Não era só a ausência da camisa xadrez que tava deixando Camelo diferente nessa noite. Era algo mais. As pessoas também estavam diferentes. Eu também estava.

O Teatro Guararapes não lotou completamente, mas a atmosfera que se formava era diferenciada. E mesmo que esse texto seja escrito por um fã igual a tantos, o sentimento transcrito é único e a palavra diferente será o carro-chefe nessa condução.

A quem diga que o show do SOU seja brando, diferente de Los Hermanos. E de fato é. Não dá pra ficar comparando.

Trata-se do terceiro show feito por Camelo no Recife. O repertório, ainda que fosse o mesmo, havia uma diferença nas batidas. Parecia que o coração de cada um sentado na platéia pulsava nas cordas, nas baquetas, nos sopros, na voz…

As melodias com diferentes roupagens e a ressurreição de uma antiga. “Liberdade” foi tocada na versão demo. Sem a sanfona de Dominguinhos. Nunca pensei ouvi-la daquele modo, tocada por ele. Sempre me conformei com meu arquivo em MP3 no computador mesmo.

Ao passo que as músicas nos chegavam, era impossível se manter sentado, atado às poltronas, sem nem ao menos bater as mãos, acompanhar o ritmo com os pés.

Camelo estava diferente. Mais simpático. Conversou mais.

Diferentemente do que poderiam ser úteis naquele momento, os aparelhos celulares eram usados pra transpor a felicidade além das paredes do teatro. Contei por alto, umas 15 pessoas enviando sms enquanto “Janta” era executada.                                                                                          Embora eu gritasse ao mundo o esplendor que ocorrera ali, não perdi tempo digitando nada. O celular servia apenas como uma arma, apontada pro palco e disparando clicks e flashs na tentativa de perpetuar aquilo que se passava diante de mim.

A primeira música já anunciava o clima que se instauraria. O show começou com “Saudade”, ao violão.

E quando proferiu ‘vem cá que ta me dando uma vontade de chorar’, em “Santa Chuva”, soou tão real que alguém subiu ao palco. Mas sem maiores alardes.

O show parecia ser igual, mas definitivamente não era. Todos ali sabiam que era o último, e não tinham a certeza de que quanto tempo passaria até revê-lo.

De repente um levanta. Dois. Quatro. Dez. trinta. Duzentos. Mil. Todos estavam de pé. Na terra do frevo, “Copacabana”, mesmo sendo marchinha, servia pra animar aquele povo todo.

‘Segura que minha alegria não quer parar’. A minha não queria acreditar que já estava perto do fim.

O momento deveria parar. Cada um de nós deveria viver aquilo por mais tempo. O tempo todo, se possível.

Não dava pra eternizar o tempo. Mas as lembranças sim. E como na tentativa de ter mais próximo qualquer coisa que seja, a batalha pelos restos materiais da apresentação se armou.

Paletas, baquetas, setlist. Uma das folhas veio pousar em minhas mãos. Propostas imediatas apareceram pra venda. Aquilo não era comercializável. Mas eu também quis fazer diferente: dividi a folha ao meio, como se repartisse minha alegria com mais alguém. E pra alguém eu dei a outra metade.

Ao abraçar cada integrante do Hurtmold, Camelo se despedia de nós. Era uma despedida diferente.

Um até logo. Até Mais Tarde!Cópia de DSC00057

Anúncios

~ por automidia em 08/31/2009.

5 Respostas to ““Só no que a vida me traz…””

  1. Lindo. Simplesmente lindo!
    Você conseguiu descrever de uma forma encantadora o que aquele show significou pra você, pra mim e para as outras pessoas que estavam lá. Parabéns!

    Essa despedida ficará na memória.
    Alguém me deu “Vida Doce” de uma setlist. Será que foi da sua?

    Beijos!

    P.S. Vi seu blog na comunidade.

  2. Eu fico muito feliz quando eu vejo que eu consegui plantar uma boa semente no seu coração!hahahah
    Fico muiiiiiiiito feliz quando vejo um anti-hermanico tornar-se HERMANIACO! ( quer dizer ex- lh ne???) rs
    mt bom manecooo.. mt bom msmmmm
    guarda esse playlist com carinho visseeeee

  3. Um conjunto de emoções e uma explosão de sentimentos…
    Me arrepiei e me emocionei lendo esse teu texto Manu.
    Foi como se eu estivesse lá também!

  4. LindoOh Muitro Lindoo mesmoo ManO Antes de te conhecer Não Imaginava Amar Tantoo Um cantor que como vc mesmo fala cada Música cada Toque é bem Diferente Não Tive a oportunidade de está lá mais Tive a Oportunidade de conheçer ese talento e de agora em Diante Acompanhar e seguir sempre esse cantor maravilhoso e está do seu lado Nos Proximos Shows mesmo que Demoree Anos para se acontecer novamente Mais esperarei atenciosamente.

  5. Caracaaaaaa!!!
    Cara, meus parabéns…
    Traduziu perfeitamente (e imagino que ainda de maneira simplória) todo o sentimento daquela noite para mim, que não estava lá…
    Camelo é o caraaaa!!!

    =D

    Aguardando o Dvd… rs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: